5 Motivos para Bidar nas Palavras da sua Marca no Google AdWords

Uma conversa constante que tenho com meus clientes de Google AdWords é se devemos ou não bidar pelas nossas palavras-chave institucionais ou de marca. A dúvida é sempre a mesma: afinal de contas se eu apareço em primeiro lugar na busca orgânica do Google quando um usuário busca pelos meus termos de marca, por que eu deveria utilizar meu budget (que para pequenos e médios anunciantes é sempre mais limitado) com buscas que eu alcançaria de graça?

Nesse post eu vou te explicar uma série de motivos que sempre me levam a recomendar o bid em seus termos institucionais. Talvez você não se encaixe nos dois primeiros motivos mas espero que ao final do texto fique claro a importância e as vantagens de manter sua campanha institucional sempre ligada e atualizada.

Primeiro, existem concorrentes bidando nos seus termos? Se a resposta for sim, então, você com certeza precisa proteger suas palavras-chave e aparecer em primeiro lugar para um usuário que já lhe conhece e que provavelmente tem mais valor para o seu negócio. Em todos os e-commerces que gerencio a taxa de conversão de usuários retornantes é sempre mais alta do que a de novos usuários e, portanto, perder esse clique seria um grande desperdício.

No exemplo abaixo fica bem claro como a Netlens tem alguns concorrentes diretos bidando em seus termos institucionais. Além de tomar a primeira posição na busca, os concorrentes também empurram o resultado orgânico quase que para depois da primeira dobra da página. Note como o “real state” da marca na página antes da rolagem fica bem comprometido se compararmos com o que acontece com a busca por Eótica por exemplo:

 

 

O segundo motivo é garantir que o usuário ache sua marca independente do idioma no qual seu browser está configurado. No exemplo abaixo o resultado da busca por Contweb pode ser bem diferente se feita no Google.com ou no Google.com.br. A primeira imagem mostra a busca feito no Google.com.br e mostra a empresa dominando as duas primeiras posições tanto nos anúncios pagos quanto no orgânico. Porém, a segunda busca foi feita utilizando o Google.com e claramente a ContWeb não se destaca tanto como na primeira imagem, se não fosse pelo anúncio institucional do AdWords:

 

 

Nesse caso também é aconselhável que você bide em seus termos de pesquisa já que você não pode adivinhar em qual das propriedades o usuário vai buscar pela sua marca.

O terceiro motivo, e um dos mais conhecidos entre especialistas da área, é que através das suas campanhas no AdWords você consegue controlar exatamente qual será a mensagem mostrada ao cliente na busca do Google. E, isso não é importante apenas para o texto principal do anúncio mas também para os sitelinks que podem destacar promoções sazonais, links rápidos para partes especifícas do seu site e muito mais. A AMARO é um ótimo exmplo de como utilizar o anúncio patrocinado para comunicar informações que não possíveis através de seu anúncio orgânico:

O sale é por tempo limitado e promovido com destaque no anúncio do AdWords. Além disso, a marca promove outras categorias como sapatos e biquinis que não aparecem ou rankeam nos sitelinks da busca orgânica.

O Google AdWords está em constante mudança e novas extensões de anúncio são adicionadas anualmente. Se podemos nos utilizar de mais recursos para aumentar nosso CTR e ajudar o usuário com informações extras sobre nosso site, produtos, coleção e etc, por que não fazer uso dessas ferramentas? No anúncio patrocinado ainda podemos adicionar a extensão de chamada, snippets estruturados, frases de destaque e mais!

No quarto motivo temos um ponto interessante, que já citei acima que é a qualidade desse usuário. Quando alguém busca pela sua marca significa que ele já conhece seu produto ou site e que suas chances de conversão serão maiores. Este usuário pode estar em todos momentos diferentes: o primeiro ele já comprou com você no passado e está voltando para fazer uma nova compra. Ou, o segundo momento, cada vez mais comum no mundo multi-tela em que vivemos, esse usuário começou a busca com termos genéricos no celular enquanto voltava para casa, ele gostou do seu produto e agora que chegou em casa vai finalizar a compra através do seu desktop. Ele entra no Google e ao invés de começar a busca novamente com termos genéricos ele digita direto os seus termos institucionais. Você não prefere garantir que vai estar lá quando isso acontecer?

Enfim, se todos esses motivos ainda não te convenceram, tenho certeza que o quinto e último motivo vai tirar qualquer dúvida que você ainda possa ter: O CPC (custo por clique) das suas palavras-chave institucionais é super baixo! Sim, não é estranho ver cliques com CPCs na casa dos R$0,05 ou até menos.

Por todos esses motivos que eu sempre recomendo que você continue bidando nos seus termos institucionais, afinal de contas eles trarão usuários altamente qualificados e que verão a mensagem exata que você quer passar sobre seu negócio. Como se não bastasse eles ainda vão te ajudar a ocupar mais espaço nos resultados da busca do Google, melhorando seu CTR, tirando espaço dos seus concorrentes (e deixando o CPC deles ainda mais caro) e tudo isso por um CPC bastante rentável.